Filosofia de Armarinho #2

E depois do feriado de carnaval, damos bom dia para março com a Filosofia de Armarinho número 2:

“E aqueles vistos entre novelos, linhas, retalhos e cores, foram julgados insanos por aqueles que só enxergam a bagunça”

Sim! Aquela baguncinha boa que antecede a beleza de um trabalho bem feito. Nós, artesãos, artistas, crafteiros, designers, marceneiros e metidos a fazer a fazer de um tudo, sabemos que temos que enxergar além! Sabemos que aquele retalhinho pode ficar lindo se combinado com outro. E que aquele fio maravilhoso, que hoje ainda é um novelo mal feito, vai te aconchegar num cachecol delícia no próximo inverno. 

E a gente também sabe que essa é a graça de fazer você mesm@ as próprias coisas. A bagunça é necessária e dela, sempre surge uma estrela! 

Mais uma vez obrigado a todas as conversas, desabafos e risadas que inspiram essa série, aqui no armarinho.

Foto da Sabrina Godarth, do trabalho da Marjott Handmade, na nossa oficina de tear alternativo. By the way, estamos querendo mais oficina de tear com a linda Marjott, quem anima? Em breve falaremos mais sobre isso <3

1 #filosofiadearmarinho

Hoje inauguramos a série “Filosofia de Armarinho” uma coleção de frases e teorias coletadas e inspiradas nesse um ano de conversas sobre o universo craft!

O crochê

“O crochê é como a vida, tem pontos altos e baixos” (sem mencionar os baixíssimos), mas a gente dá conta, se deu errado desmancha, começa de novo, escolhe outras cores. A vida é cheia de escolhas, de tentativas, erros e acertos, o crochê também! O trabalho ilustrando é da nossa profe parceira Nat Petry ♥

Obrigada aos nossos clientes, professores e amigos pelos desabafos, risadas, receitas, dicas e ideias. Todo dia primeiro tem #filosofiadearmarinho.